domingo, 9 de junho de 2013

A importância do Casamento Vermelho em "Game of Thrones"


SPOILERS DO EPISÓDIO 3x09

Uma semana se passou e os fãs de "Game of Thrones" continuam chocados com a infame sequência que encerou o episódio 9 da terceira temporada, intitulado The Rains of Castamere. O "Casamento Vermelho" (como é conhecido pelos fãs da saga literária As Crônicas de Gelo e Fogo, e agora também pelos da série) é sem dúvida o momento mais grotesco saído da mente do autor George R.R. Martin, por vários motivos: a quebra da segurança de ser um casamento, a traição pelas mãos do próprio pai da noiva, a brutalidade de Talisa sendo esfaqueada na barriga e de Catelyn matando uma jovem inocente, e a aparente injustiça da morte de Robb em particular. O próprio Martin reconhece a força da cena, mas garante que ela tem uma grande importância dentro da história.

Em entrevista ao site EW, Martin explica os motivos que o levaram a matar Robb: "Eu gosto que minha ficção seja imprevisível. Eu gosto que haja esse suspense constante. Eu matei Ned no primeiro livro e isso chocou muita gente. Eu matei Ned porque todos pensavam que ele era o herói e que, por isso, ele entraria em roubadas mas sairia delas. A próxima coisa previsível é achar que seu filho mais velho iria ascender e vingar seu pai. E todo mundo esperava por isso. Então matar Robb acabou se tonando próxima coisa que eu deveria fazer".

Mas a decisão não foi fácil para o escritor, que confessou ter escrito todo o terceiro livro para então conceber a cena do Casamento. "Foi como matar dois de seus filhos. Eu tentei fazer com que os leitores se sentissem vivendo os eventos do livro. Assim como você sente se um amigo é assassinado, você deve sentir se um personagem ficcional é assassinado. Você tem que se importar. [...] Eu não me arrependo, não como um escritor. É provavelmente a cena mais poderosa dos livros. Me custou alguns leitores, mas conquistou muitos mais".

Os roteiristas David Benioff e D.B. Weiss também admitem que sentirão falta dos atores, mas que a cena é importante para mostrar o real perigo da trama. "Não é como se monstros surgissem do nada e matassem essas pessoas. Os monstros são nossos outros personagens, que não são monstros, mas pessoas com suas próprias motivações e objetivos".

Com certeza a cena não seria tão emotiva não fosse o fator familiar do momento, onde tudo está caminhando para um final feliz e de repente dá uma reviravolta. "Arya estava tão perto de chegar até o irmão, eu acho que isso foi o que mais doeu porque tudo o que nós queríamos é ver essa família junta novamente", disse o ator Richard Madden, que interpreta Robb. Sobre as mudanças feitas pela série (nos livros a esposa de Robb não morre), Richard diz que "foi bem mais trágico que não houvesse nada restando para ele. Não existe a possibilidade de Talisa fugir e ter o bebê e esse bebê se tornar o Rei no Norte um dia".

Para Michelle Fairley, intérprete de Catelyn, toda a filmagem da cena foi muito difícil (após a conclusão das filmagens, ela se negou a atender as ligações dos produtores por alguns dias) mas também a sua preferida em toda a produção. Sobre o momento decisivo em que Cat mata a jovem esposa de Frey, Michelle diz que sua personagem "veio de uma família nobre. Sua vida inteira foi sobre honra e fazer a coisa certa. De certa forma, ela foi muito "segurada" por esse senso de honra e dever. Ela estava constantemente questionando seus motivos e ações, mas esta ela não questionou. [...] Não havia nada mais para ela, ela já estava morta mesmo, ela queria fazer isso. Ela queria vingança pela morte de seu filho. Foi um ato corajoso e brutal".

As consequências desse ato brutal serão vistas no episódio deste domingo, Mhysa, o último da terceira temporada. Abaixo, um vídeo divulgado pela HBO que mostra depoimentos dos roteiristas Benioff e Weiss sobre a cena do Casamento Vermelho:

4 comentários:

Thaynan Lira Galhardo disse...

Ameiiii esse post.

O Martin é foda!
"Eu tentei fazer com que os leitores se sentissem vivendo os eventos do livro. Assim como você sente se um amigo é assassinado, você deve sentir se um personagem ficcional é assassinado. Você tem que se importar. [...] "

Pode ter certeza que nós sentimos mesmo! Chorei tanto com essa cena que o meu marido me zoa até agora.

O que acho super interessante (apesar de muito sofrido) é exatamente essa insegurança, esse suspense. Nós não temos como prever como tudo acabará, quem enfim tomará o trono de ferro.
Se ele continuar nessa mesma linha, de matar todos os que achamos q merecem o trono, só restarão os personagens que mais odiamos... =S

Cesar Daldosso disse...

Espero por duas coisas: 1.) Que esse velho termine os livros antes de morrer e 2.) que não mate Daenerys por essa mesma lógica.

Thaynan Lira Galhardo disse...

Cesar, concordo plenamente. Também não gostaria que o Tyrion morresse, é o único dos Lannister que eu gosto. Ele tem bom caráter e é muito inteligente.

Jassa disse...

Mas e porque o Martin acabou com os Starks? Tem que ter um motivo estratégico, porém isso não existe. Pois o que motivou ele à isso foi puro capricho.