quarta-feira, 2 de maio de 2012

Review - Episódio 2x05 "The Ghost of Harrenhal"


A bonança que antecede a tempestade.

Antes de tudo, quero dizer que concordo com as várias opiniões que li por aí de que este The Ghost of Harrenhal foi o episódio mais chatinho da segunda temporada de “Game of Thrones” até agora. Porém, esta culpa não pode ser atribuída apenas à série, mas também ao livro na qual a temporada está se baseando, “A Fúria dos Reis”, que mesmo inserindo ótimas tramas e personagens, é, em minha opinião, o mais fraquinho da saga. Principalmente porque nele as tramas de Jon e Daenerys custam a sair do lugar, e este episódio errou justamente ao focar demais nestes dois personagens.

Entendo perfeitamente as motivações de Jon e suas andanças sem fim ao Norte da Muralha, bem como as tentativas de Dany de se socializar em Qarth, mas é fato que muita coisa está ali apenas pra enrolar, e não me venham com essa de “vai ser importante no futuro”, porque eu já li os livros e sei muito bem o que vai ser importante e o que não vai. Não descarto a importância dessas cenas ao estabelecer os personagens e suas tramas, mas o problema que eu estou percebendo nessa temporada é uma inconstância de ritmo. No episódio passado, por exemplo, aconteceram coisas demais e muitas informações foram fornecidas, e neste, tivemos poucos acontecimentos importantes.

Neste sentido, a criação de cenas adicionais é mais que bem-vinda, se destacando aquelas de Mindinho tramando em cima da inesperada morte de Renly pela criatura nascida de Melisandre no final do episódio passado, acontecimento que deu um novo sentido ao conflito entre os reis. Stannis agora tem a aliança de quase todos os vassalos do falecido irmão, e está mais forte que nunca. Mas o que ele não espera é que, em Porto Real, Tyrion descobriu um truque para ganhar a guerra: o fogovivo, uma substância mágica e altamente incendiária.

Principal suspeita pela morte de Renly, Brienne foge e jura lealdade a Catelyn, que só quer voltar para os filhos em Winterfell – e agora a cidade vai precisar mesmo dela, uma vez que os sonhos premonitórios de Bran estão começando a fazer sentido, e Theon começa a colocar em prática seu plano de trair Winterfell para conquistar a confiança do pai. Mas as melhores cenas foram (mais uma vez) as de Arya, enfrentando Lorde Tywin e conseguindo uma inesperada aliança com Jaqen H’ghar, que promete tirar três inimigos do caminho da garota. Tudo bem que ela podia ser mais seletiva na escolha desses inimigos, mas enfim... 

Como se viu, as tramas estão realmente começando a se encaixar, e eu sei que estamos apenas na metade da temporada e o melhor ainda está por vir. O inverno está chegando, e o jeito agora é aguardar.

6 comentários:

Jane Ploc! disse...

Realmente alucinante a cada trama...estou amando!!

Jane Ploc! disse...

Me deleito com cada episódio!! >.<

Marcelo disse...

Amo Daenerys, não me importa se eles ficam enchendo linguiças com ela!!

Andre Mesquita disse...

Parabéns pelos comentários.

Não li os livros e é provável que nem o faça. A primeira temporada realmente foi bem produzida e ativa, o que me fez acompanhar a segunda temporada. Mas assisti aos 4 primeiros episódios e está frio e causa sono (alguns episódios dormi e tive que rever).

Isso vai mudar?

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Caio!

Sério que você acha o segundo o mais chatinho? Pra mim é o quarto, mas provavelmente é porque meus personagens preferidos não aparecem nele.

Concordo que por enquanto as partes de Dany e Jon estão chatinhas, mas não posso reclamar porque Jon é meu preferido, e acho muito ruim se ele não aparece ;D

E as partes de Arya são mesmo as melhores. Adorei a aliança dela com o Jaqen e o diálogo dela com Tywin.

Beijos!

Fernanda

Caio Falcão disse...

Andre,

Isso deve mudar sim. Nessa reta final acontecem muitas coisas interessantes na história!

Fernanda,

Ainda estou no 3º livro, mas pelo pouco que fiquei sabendo, acho que vou gostar bastante do 4º (prinipalmente porque Cersei ganha ponto de vista e tal).

Obrigado pelos comentários!